Remuneração Variável: o que é? Exemplos de como funciona

Tempo de leitura: 4 minutos

Um dos principais fatores que incentivam com que as pessoas continuem em uma empresa ou mudem para outra companhia é a remuneração.

 

Mesmo com benefícios, uma cultura organizacional fortalecida e demais variantes, no final das contas, é o ganho monetário que decidirá essas mudanças.

 

Você sabe como funciona a remuneração variável? Confira abaixo mais sobre o que é, como é aplicada e leia dicas essenciais!

 

O que é remuneração variável?

A remuneração variável é quando há um acréscimo do valor que é pago ao funcionário, geralmente diante do alto desempenho ou metas alcançadas dentro de determinado período de trabalho.

 

Nesse caso, quando as empresas adotam essa questão, é preciso que seja bem claro e informado a todos os envolvidos, reconhecendo os colaboradores e seus serviços prestados.

 

Dessa forma, é natural que quando reconhecido, o funcionário sinta-se mais estimulado, portanto, pode ser um ótimo investimento em sua companhia.

 

Qual o objetivo da remuneração variável?

O objetivo de instalar esse método dentro de sua empresa é de trazer muitas vantagens e benefícios. Confira abaixo quais são eles:

Gerar maior engajamento por parte dos colaboradores;
Alcançar resultados e metas com mais facilidade;
Auxiliar na redução de turnover;
Servir como chamariz para novos talentos no negócio.

Portanto, se você ainda não tem essa ação aplicada dentro de seu negócio, ou, nunca tinha pensado nessa possibilidade, pode ser que esse seja o momento de desenvolvê-la.

Qual a diferença de remuneração variável e fixa?

Existem dois tipos de remuneração que podem ser aplicados dentro de sua empresa: a fixa e a variável.

 

Entenda mais sobre a diferença de cada uma delas, abaixo:

 

Remuneração fixa

Aqui, a remuneração fixa é aquela que possui um valor pré-estabelecido. Nesse caso, existem duas formas de aplicá-la:

Por horas trabalhadas: comumente encontrada na CLT, ela é o tipo mais comum seguindo a ordem da quantidade de horas que foram trabalhadas;
Por dias trabalhados: nesse caso, é usada em locais que fazem a contratação de acordo com os dias trabalhados, geralmente aplicado a pessoas autônomas.

Remuneração variável

Comumente encontrada na maioria das empresas, ela é muito aplicada quando existem metas específicas que devem ser cumpridas, chamada de remuneração variável.

 

Nesse caso, alguns dos tipos existentes, são:

PLR (Participação nos lucros ou resultados);
Comissão;
Bônus;
Gratificação;
Premiação.

Exemplos de remuneração variável

Já citados brevemente no tópico anterior, existem vários tipos de remuneração variável que são aplicados nas companhias.

 

Confira abaixo mais sobre cada um deles:

 

Comissão por vendas

Geralmente aplicada no setor comercial, ela é paga quando há certa quantidade de vendas ultrapassadas, metas batidas ou número alcançado.

 

Comissão por metas batidas

Já nessa caso, são as metas estabelecidas, o que pode ser variável conforme a área de atuação da empresa, se é uma geral ou tantas outras possibilidades.

 

Premiação por produtividade

Por fim, a premiação de acordo com a produtividade deve traçar quantidades exatas, como vendas executadas, clientes angariados, leads qualificados e demais variações de cada um.

 

Como se calcula remuneração variável?

É preciso saber, inicialmente, quais são as maneiras de calcular a remuneração variável, que são

Distribuição: o valor líquido que a empresa obteve dentro de certo tempo pode ser dividido entre os envolvidos. O valor de cada pessoa pode variar conforme a participação e cargo, sendo assim, não há um valor especificado;
Valor alvo: aqui, é variável conforme a meta estabelecida, que quando alcançada, todos os envolvidos terão a sua parte designada, também segundo o cargo, porém, há um valor previsto.

Veja abaixo mais sobre a diferença entre a remuneração variável e a distribuição de lucros e qual delas pode ser a mais interessante para seu negócio.

O que diz a lei sobre remuneração variável?

Esse tipo de remuneração é regulamentado na legislação, especificamente no inciso XI do artigo 7, que existe há mais de 50 anos.

 

Segundo a lei, não deve-se acrescentar nenhum tipo de taxa adicional ou aplicar o imposto de renda sob esses valores.

 

Como criar um programa de remuneração variável na empresa?

Pensando em aplicar esse tipo de programa de remuneração variável dentro de sua empresa? Acompanhe abaixo mais sobre o que deve ser executado, como aplicar de maneira simples e obter resultados.

 

Escolha o tipo de remuneração variável

Primeiramente, você deve escolher qual será o tipo da remuneração variável. Confira algumas das ideias para se inspirar abaixo:

Comissão de vendas;
Participação nos lucros e resultados;
Prêmios financeiros ou produtos;
Bonificação;
Participação acionária;
Gratificação funcional.

Depois disso, trace bem ao certo qual será a meta ou o que deve ser alcançado para que aconteça essa distribuição entre os colaboradores.

 

Comunique a mudança de remuneração aos colaboradores

Agora, é o momento de comunicar essa implementação ou mudança diretamente para os colaboradores, tirando todas as dúvidas e questões relevantes.

 

Esse é um passo essencial para que todos os envolvidos saibam o que precisam fazer, e assim, trabalhem em prol e com engajamento para alcançar o resultado final.

 

Implemente um modelo de gestão à vista

A gestão à vista é uma ótima opção para que você possa compartilhar com mais cuidado e transparência as metas que estão acontecendo dentro da empresa em tempo real.

 

Assim, o indivíduo poderá trabalhar em prol para que alcance os resultados esperados e como consequência, obtenha a tão desejada renda variável.

 

Incentive os colaboradores a atingir metas

Por fim, é uma ideia interessante incentivar o colaborador por meio de dinâmicas, processos e até mesmo pequenas metas diárias para que assim, a meta aconteça rapidamente.

 

Nesse caso, você pode:

Aplicar gritos de guerra;
Reunir o time semanalmente;
Fazer um almoço informativo.

Ou tantas outras possibilidades. O principal fato é o de conseguir unificar o espírito de engajamento e assim, fazer com que todos trabalhem em prol do mesmo objetivo.

 

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando aqui no blog EAG essa e demais atualizações para conseguir tirar sua empresa do caos e ter funcionários autogerenciáveis.

O post Remuneração Variável: o que é? Exemplos de como funciona apareceu primeiro em Blog EAG.

Tempo de leitura: 4 minutos Um dos principais fatores que incentivam com que as pessoas continuem em uma empresa ou …
Leia Mais
O post Remuneração Variável: o que é? Exemplos de como funciona apareceu primeiro em Blog EAG.

Deixe um comentário