Contratar parentes na empresa: cuidados e dicas essenciais!

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 6 minutos

Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -, cerca de 90% das empresas brasileiras são consideradas familiares, ou seja, que possuem parentes em sua composição.

 

Dessa forma, representam 65% do PIB, empregando mais de 75% pessoas no país, uma realidade abrangente e muito impactante no cenário trabalhista brasileiro.

 

Mesmo com essa grande porcentagem, esse não é um modelo de negócio simples, pelo contrário, costuma ter mais problemas do que empresas compostas por desconhecidos, principalmente pela proximidade e maior intimidade entre os colaboradores.

 

Afinal, vale a pena contratar parentes?

 

Confira aqui, no blog do EAG, mais sobre o processo de contratação de parentes, os cuidados necessários e dicas para ter maior produtividade!

 

Pode contratar parentes para trabalhar na empresa?

Pode contratar parentes para trabalhar na empresa?

Primeiramente, é preciso compreender que não existem leis ou proibições da ação de contratar parentes em uma organização, mas, isso pode variar de empresa para empresa, onde algumas podem ter regras internas sobre a questão.

 

Por isso, comandante, você deve pensar com carinho sobre qual é a cultura organizacional de sua companhia sobre essa questão, traçando planos e regras condizentes ao que se deseja para o futuro do negócio.

 

Contratar parentes é bom?

Uma resposta relativa, existem prós e contras da contratação de parentes. Veja mais sobre cada uma dessas questões abaixo:

 

Desvantagens

Um dos principais motivos em que se evita esse tipo de contratação é o mal-estar no ambiente de trabalho, onde boatos, fofocas e desconfortos podem acontecer devido ao vínculo em questão.

 

Por exemplo: você com certeza já ouviu falar sobre algum caso em que certo indivíduo foi promovido, ganhou um aumento ou vários benefícios apenas por ser parente de certo gestor, correto?

 

Isso gera certa desconfiança por parte dos outros colaboradores, aumentando o desequilíbrio no clima organizacional e o engajamento de todo o time.

 

O conflito de interesses também é outro ponto que ganha atenção, isso porque muitas vezes, a emoção pode superar a razão, complementando o exemplo anterior.

 

O sigilo de informações é outro ponto que merece atenção, isso porque um funcionário que atua em certo setor, pode repassar dados confidenciais para outro parente.

 

Além disso, há a possibilidade de abrir espaço para a concorrência desleal, onde colaboradores da mesma família podem abrir um novo negócio no mesmo ramo com a expertise já adquirida.

 

Vantagens

As vantagens também devem ser levadas em consideração, afinal, podem ser boas razões para realizar essa contratação de familiares.

 

Um dos motivos é o acolhimento e maior interação de pessoas da mesma composição familiar, além da confiança pré-existente em muitos casos.

 

O conhecimento da personalidade dessa pessoa de forma prévia também é um benefício, assim, pode-se ter mais assertividade diante da contratação e em qual dos setores da empresa pode se encaixar melhor.

 

Em empresas de pequeno a médio porte, a contratação de parentes pode ser uma ótima opção quando há uma demanda escassa de novos funcionários.

 

Ficou em dúvida? Veja abaixo mais sobre se é errado ou não contratar familiares em sua empresa no podcast EAG e saiba mais!

Perigos de contratar parentes

Existem alguns perigos que devem ser considerados ao realizar a contratação de um parente. Acompanhe quais são eles abaixo e saiba mais:

  • Mistura de assuntos: um dos acontecimentos mais comuns é de que assuntos de cunho pessoal e profissionais se misturem, gerando assim mágoas e impressões pessoais;
  • Influência nos cargos: se um gestor é parente próximo de um de seus funcionários, é preciso foco na qualidade do trabalho e não levar em consideração impressões e afetos pessoais;
  • Concorrência: há muitos casos de parentes que entram na concorrência do ramo em questão, principalmente por terem todo o conhecimento, clientela e saber como agir em relação ao produto/serviço oferecido;
  • Problemas de clima organizacional: por várias questões, tanto pessoais quanto organizacionais, podem acontecer conflitos que vão desestruturar o clima dentro da empresa.

Por isso, vale a pena pensar nessas questões antes de chamar aquele seu primo, irmão ou tia para compor o quadro de funcionários de sua companhia.

Dicas para contratar parentes

Com dúvidas sobre como realizar a contratação de parentes? Confira abaixo algumas dicas para executar esse procedimento com cuidado e agregar o melhor para sua empresa!

 

Processo seletivo igualitário

Durante o processo de seleção de novos funcionários, é preciso que o possível contratado passe por todas as etapas que todos os outros interessados enfrentarão.

 

Dessa forma, você realiza uma disputa igualitária, além de ser justo com todos os outros participantes.

 

É importante lembrar que nesse caso, você deve verificar se o indivíduo em questão possui todas as características, skills e habilidades necessárias para compor o cargo em questão com sucesso.

 

Caso contrário, você estará escolhendo um colaborador apenas pelo laço familiar, deixando de lado a questão e necessidade profissional de sua companhia.

 

Regras internas

Se o parente for aprovado em todas as seleções e trâmites de contratação, é o momento de aplicar todas as regras, cultura organizacional e processos comuns a todos para ele também.

 

Lembre-se que nenhuma distinção deve ser feita em relação ao indivíduo – independente se é parte da família ou não -, dentro da companhia, ele é mais um funcionário e possui a mesma importância que todos os outros.

 

Por exemplo: se o horário de entrada é às 8h e o contratado está chegando 8h30, com certeza os outros funcionários não vão se sentir felizes com essa diferença clara, portanto, tenha atenção!

 

Lado emocional X profissional

Seja no momento do feedback, na hora de resolver um problema ou tantas outras ações do dia a dia, é importante saber separar o lado profissional do lado emocional.

 

Essa não é uma ação fácil, pelo contrário, exige muita concentração por parte do gestor e principalmente, o famoso “estômago”, por isso, é preciso pensar nessa questão antes de realizar a contratação de alguém tão próximo.

 

É preciso sempre deixar os interesses profissionais em primeiro lugar, seja para elogiar, reportar problemas ou todos os passos que estão internalizados em seu negócio.

 

Evite conversas pessoais no ambiente de trabalho

De modo a evitar essa proximidade dentro do trabalho, além de brecha para que os outros funcionários especulem sobre a condição, é preciso evitar qualquer proximidade além da profissional nesse espaço.

 

Assim, há um maior foco nas questões corporativas, maior respeito em relação a questão familiar e principalmente, a visão para os outros colaboradores do ambiente de trabalho firmada.

 

Demita igual outros colaboradores

A adaptação desse trabalhador não foi conforme o esperado? Faça a demissão sem pestanejar.

 

Caso o mesmo esteja executando um trabalho não condizente com o esperado, com ações fora da cultura organizacional e especificações da sua empresa, é o momento de tomar a decisão conforme seria feita com outros profissionais.

 

Lembre-se de sempre priorizar os interesses da empresa acima dos interesses pessoais seus e também do indivíduo que foi contratado.

 

Veja abaixo no vídeo “Café com comandante”, como conseguir estabelecer um organograma de sucesso dentro de uma empresa familiar e como aplicá-lo no dia a dia!

 

Como liderar parentes no trabalho

Primeiramente, é preciso que o gestor da área saiba quais são as competências que devem ser desenvolvidas para o cargo ou setor em questão.

 

Siga o passo a passo abaixo e comece a desenvolver essa liderança dentro do ambiente de trabalho composto por parentes:

 

Observe os gaps de competência

Note quais são os seus pontos fracos e que precisam ser trabalhados, por exemplo: se o seu primo não te escuta dentro do espaço corporativo, nesse caso, você deve desenvolver essa habilidade de ser ouvido no ambiente de trabalho.

 

Pense na execução

Aqui, você deve pensar em quais são as ações executadas por pessoas que são ouvidas no trabalho: há a execução de uma apresentação? Acontece uma explicação de forma prévia? O que diferencia esse profissional dos demais?

 

Você deve responder essas questões com verbos e descrevendo quais são as ações tomadas, assim, poderá visualizar melhor o que deve ser feito.

 

Crie um plano de ação

Descreva pelo menos 8 itens relacionados ao o que essas pessoas em que você se baseia fazem para que assim, tenha a competência desejada.

 

Depois disso, com base nessa lista criada, você deve estruturar um plano de ação, onde deve traçar os passos necessários para assim, atingir essa habilidade tão desejada.

 

Ao inserir foco e meta diante dos desafios criados, há o maior desenvolvimento de liderança dentro do setor ou da empresa em questão.

 

Quer saber mais? Confira abaixo o café com comandante, onde Marcelo Germano explica com mais detalhes todo o processo para o desenvolvimento correta dessa liderança em um ambiente profissional composto por familiares.

Gostou desse conteúdo? Continue sempre de olho no blog EAG para receber atualizações constantes, além disso, siga-nos em nossas redes sociais para estar sempre por dentro das novidades!