Cliente inadimplente: como reduzir a taxa de inadimplência da empresa

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 6 minutos

Um dos problemas mais comuns por entre os empresários brasileiros é sem dúvidas ter que lidar com o cliente inadimplente.

 

As causas para isso acontecer são muitas: problemas financeiros, falta de atenção, má fé e tantas outras.

Confira abaixo mais sobre o que fazer nesse caso, quais são as ações mais indicadas e cuidados necessários.

É preciso primeiramente entender a diferença entre o cliente que é inadimplente e aquele que está nessa condição por razões maiores.

 

O primeiro é aquele que não costuma realizar controle financeiro ou atuam de forma maléfica, de forma a ganhar vantagens em relação a empresa.

 

Esse é o tipo de comprador do qual não se deseja ter no seu negócio, assim, interromper essa parceria é uma das ações mais indicadas.

 

Enquanto isso, o primeiro tipo de consumidor pode estar nesse momento por vários motivos:

  • Esquecer de pagar o boleto;
  • Não ter dinheiro no momento;
  • Questões pessoais;
  • Não recebimento das cobranças.

Nesse caso, se é a primeira vez que isso acontece, pode ser interessante para seu comércio negociar e conceder condições únicas até que tudo seja regularizado.

 

Afinal, negociar com o indivíduo em questão pode ser muito mais interessante do que perdê-lo de vez.

 

Assim, vale a pena diminuir ou eliminar multas e juros, cultivando a boa convivência e parceria com o mesmo.

 

Independente de qual seja o caso, é preciso ser profissional em ambas as situações, conduzindo o futuro dos procedimentos com cuidado.

 

Cliente inadimplente: como lidar?

Cliente inadimplente: como lidar?

Existem várias formas utilizar de como resolver problema de inadimplência, veja algumas das mais indicadas abaixo:

 

Estabeleça uma regra de cobrança ativa

Primeiramente, a área financeira deve ter uma régua de cobrança sempre ativa, onde todos os processos em questão ajudarão a evitar atrasos e assim, perder dinheiro.

 

Dessa forma, os responsáveis pela área financeira vão saber exatamente como e quando aconteceram as inadimplências, tornando-se parte da rotina.

 

Observe o perfil do cliente

Depois de definir a regra de cobranças, é o momento de verificar mais sobre o histórico do cliente que está com o pagamento em atraso, principalmente há quanto tempo isso está acontecendo.

 

Aqui é o momento de diferenciar àquele que é um bom pagador e algo aconteceu, daquele que tem recorrência na questão.

 

No caso do primeiro, vale a pena entrar em contato e tentar entender o que aconteceu, abrindo exceções, reduzindo taxas e juros.

 

Fale com o cliente

Esse é o momento de avisar ao cliente que há uma pendência financeira.

 

Lembre-se de tentar ser amigável e sempre educado, evitando conflitos iminentes para assim, preservar a relação.

 

Dê alternativas

Ofereça outras formas como pagamento ou negociação, seja descontos para pagamento à vista, parcelamento da dívida ou a não cobrança de juros ou multas.

 

Mas, lembre-se de respeitar o fluxo financeiro de sua empresa e momentos estratégicos, assim, pode entender o que melhor se encaixa em seu caso.

 

Faça bom uso da tecnologia

É uma ideia interessante investir em chatbot de cobrança, que são versáteis e eficazes em muitos casos.

 

Ademais, é possível instalar no CRM a rotina de cobrança, relembrando o setor financeiro de entrar em contato com o cliente em questão.

 

Lembre o cliente do que ele está perdendo

Caso todas as alternativas anteriores não tenham surtido efeito, é o momento de demonstrar ao cliente em questão o que ele está perdendo caso não efetue o pagamento.

 

Esse não é o momento de fazer ameaças ao cliente que está devendo, continue tentando manter a boa convivência.

 

Corte o serviço e negative o indivíduo

Agora é o momento de cortar o fornecimento do cliente e assim, inserir o nome do mesmo nos programas de proteção ao crédito.

 

Essa é considerada uma medida drástica, porém, necessária, principalmente depois de tantas chances de tentar resolver por meios amigáveis.

 

Por fim, pode ser o momento de procurar ajuda jurídica, informando-se assim com advogados o que pode ser feito em cada caso.

 

Como cobrar cliente inadimplente?

Segundo um relatório emitido pelo Serasa Experian, são cerca de 63,2 milhões de brasileiros inadimplentes, principalmente pela falta de educação financeira.

 

Porém, o que fazer quando o cliente não paga? Veja abaixo alguns exemplos:

 

Venda com provas concretas

Se a venda foi efetuada por meio de cheques, duplicatas, notas promissórias ou nota fiscal, fica muito mais fácil de realizar a cobrança, isso porque há um compromisso assinado e comprovado entre ambas as partes.

 

Dessa forma, basta que o comerciante entre com uma ação ao devedor, conhecida como “ação monitória” que é formalizada diretamente ao JEC – Juizado Especial Cível.

 

Concluída essa ação, o juiz emitirá um mandato de pagamento, onde o devedor possui o tempo de 15 dias para concluí-lo.

 

Do contrário, se não for feito o pagamento, o mandato vira um título executivo judicial, onde há a possibilidade de penhora ou apreensão de bens.

 

Venda sem provas concreta

Já nesse caso o procedimento pode ser muito mais complicado do que parece, além de demorado, mas, não impossível!

 

É preciso que o comandante tenha a maior quantidade de provas e testemunhas – nesse caso, conversas de redes sociais e e-mails são válidos.

 

Depois disso, inicia-se uma ação de cobrança, onde tudo é apresentado ao JEC.

 

O procedimento é bem mais devagar, visto que tudo passará por uma análise pericial, além da possibilidade do acusado de contestar as dívidas.

 

Venda sem provas

Nesse caso, é quase impossível de conseguir o dinheiro de volta, visto que é uma palavra contra a da outra pessoa.

 

Dessa forma, fique atento e nunca deixe de documentar quaisquer transações ou potenciais vendas que estejam acontecendo em seu negócio.

 

Importância de reduzir a taxa de inadimplência

Manter essa taxa o mais baixa possível é essencial para:

  • Crescimento de sua empresa;
  • Acompanhar a saúde financeira de sua companhia;
  • Criar planos de ação eficazes;
  • Constância no pagamento das contas;
  • Recursos para investimentos empresariais;
  • Ter maior acompanhamento financeiro.

Por isso, tenha atenção em qual a quantidade dessa taxa em sua empresa, pode ser tanto um alerta, quanto um sinal positivo de ótimos clientes.

 

Como reduzir a taxa de inadimplência da empresa?

Para ter uma saúde financeira positiva em sua companhia, existem algumas ações que podem ser efetuadas em prol desse resultado.

 

Acompanhe abaixo quais são elas:

 

Faça análise de crédito

Antes de começar a venda, faça uma análise de crédito prévia do cliente.

 

Caso o mesmo já tenha o nome sujo ou demais pendências, vale a pena analisar se a venda é viável.

 

Além disso, se o valor for muito alto para um pedido inicial, desconfie. No mais, se as informações forem condizentes e tudo estiver certo, avance com a venda.

 

Invista em um sistema de gestão

Ter um sistema de gestão é essencial para conseguir reduzir esse número.

 

Por meio de um software, fica muito mais fácil controlar as formas de arrecadação de sua empresa, gerenciar todos os pagamentos, recebimentos e tudo aquilo dependente dessas quantias.

 

Ademais, é possível tirar relatórios completos e personalizados sobre a organização.

 

Crie programas de incentivo ao pagamento

Comandante, uma ideia interessante é a de incentivar os pagamentos dos seus clientes, seja por meio de descontos, bonificações ou até brindes.

 

Isso também promoverá sua empresa, criando afiliados e uma conexão maior com seus compradores.

 

Ademais, lembre-se de criar documentos e contratos que comprovem os vínculos entre ambas as partes.

 

Instale uma régua de cobrança

Uma das ferramentas mais usadas pelo setor financeiro é a régua de cobrança, da qual garante com que os recebimentos aconteçam, lembrando os clientes, associados e demais associados de suas responsabilidades.

 

Ela funciona por meio de uma linha de tempo, onde são aplicados todos os associados e assim, enviadas mensagens automáticas para lembrá-los de seus pagamentos.

 

No caso dos pagamentos atrasados, vale a pena reenviar o valor atualizado, incluindo juros e multas quando preciso.

 

Faça a venda com nota fiscal

Lembre-se que a nota fiscal é um documento do qual comprova a relação entre venda e trâmite do consumidor.

 

Ela é uma prova obrigatória para casos futuros de cobrança, sendo assim, não deixe de exigir em quaisquer transações, tanto de fornecedores, clientes e demais serviços prestados.

 

Quer saber o que fazer no caso da empresa devendo? Clique abaixo e escute o podcast do EAG e saiba como!

Agora que você já sabe mais sobre como se prevenir de eventuais problemas financeiros, não deixe de compartilhar esse conteúdo com outros empresários.

 

Acompanhe o EAG em nossas redes sociais e fique sempre por dentro das novidades e informações para deslanchar os negócios de sua empresa.