Liderança autocrática: exemplos e características deste estilo de líder

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 6 minutos

A liderança de uma empresa é o pilar principal para que possa ter direcionamento e atingir seus objetivos conforme o que foi traçado e definido para cada colaborador.

 

Você já ouviu falar sobre a liderança autocrática? Um dos estilos mais comuns na antiguidade, e que perdura até hoje nas empresas, possui tantos benefícios quanto desvantagens.

 

Ficou em dúvida? Confira abaixo do que se trata, quais são as suas características e saiba se é aplicável dentro de sua companhia.

 

O que é liderança autocrática?

O que é liderança autocrática?

É chamada de liderança autocrática aquela em que o líder assume uma postura mais convencional, autoritária e centraliza todas os próximos passos da equipe em suas mãos.

 

O termo de autocracia é derivado dos regimes antigos, onde o governante possuía poder sem limites e absoluto, sendo assim, aplicado a empresa.

 

Essa pessoa tem controle sobre todos os processos e responsabilidades de uma equipe, definindo quem, como e quando serão executadas certas atividades.

 

Visto por muitos como algo ruim e por outros como uma alternativa mais condizente, confira abaixo mais sobre as principais características desse modelo!

 

Características da liderança autocrática

Confira abaixo algumas das principais características que diferenciam o estilo de liderança autocrática das demais:

  • Decisões centralizadas: o gestor é quem toma todas as decisões, sem levar em conta a opinião dos outros, mantendo-se distante e impedindo a liberdade de participação coletiva;
  • Método inflexível: o líder define como serão executadas as tarefas, o que é prioridade e demais detalhes sobre a gestão de equipe, não ouvindo possíveis conselhos sobre ações de outros trabalhadores;
  • Hierarquia rígida: inspirada em comandos militares do passado, a hierarquia vertical deve ser respeita para que possa se trabalhar com o líder – assim, é apresentada aquela imagem do líder tradicional;
  • Constante supervisão: é sempre realizado o acompanhamento de perto de cada tarefa que será aplicada, além do controle contínuo de processos e projetos, onde tudo deve seguir estritamente o que foi planejado;
  • Ambiente rígido: não são comuns demonstrações de amizade, conversas paralelas e pausas durante o expediente;
  • Pressão para metas: o líder tem o foco em atingir as metas que foram traçadas, acionando e direcionando os seus funcionários para que essa ação seja executada dentro do prazo estipulado;
  • Comunicação reduzida: o diálogo com o líder é limitado a somente o necessário, focando em atingir as metas e diminuindo a possibilidade de questionamentos;

Essas são algumas questões comumente abordadas e vivenciadas em empresas que possuem um líder autocrático.

 

Ser um líder autocrático é ser um líder autoritário?

Sim, geralmente o líder autocrático é chamado também de líder autoritário, visto que tem um estilo de liderança com maior controle de decisões e sem delegar tarefas para os outros colaboradores.

 

Esse tipo de comandante costuma fazer suas escolhas baseando-se nas suas ideias pessoais, além de não levar em consideração a opinião dos demais, exercendo controle absoluto e autoritário no grupo.

 

Mas, é importante destacar que dependendo da organização, esse pode ser um ótimo estilo de negócio, direcionando tudo o que deve ser feito com mais praticidade e simplicidade.

 

Exemplos de liderança autocrática

Alguns exemplos de liderança autocráticas são fáceis de serem visualizados na prática:

  • Determinação de horário de entrada e saída dos trabalhadores;
  • Restrição de conhecimentos por parte do líder, que não faz questão de compartilhar com os demais trabalhadores;
  • Processos bem estabelecidos de forma prévia e apenas repassados para os funcionários.

Você com certeza pode pensar em várias questões de uma liderança autocrática em seu dia a dia, na verdade, pode até exercer ou viver em uma dentro de sua empresa e nunca ter percebido.

 

Exemplos de líderes autocráticos

Observando a história do mundo, é possível verificar alguns exemplos de líderes famosos dos quais utilizaram a liderança autocrática em seus reinados ou gestões.

 

Muitos deles ficaram conhecidos pelo seus feitos positivos, enquanto outros até hoje são criticados. Confira abaixo:

  • Margareth Thatcher: foi a primeira-ministra do Reino Unido durante os anos de 1979 até 1990, ela é conhecida até hoje como “Dama de Ferro” pelas suas políticas conservadores e restritas;
  • Abraham Lincoln: foi presidente dos EUA entre 1861 até 1865. Era republicano, a favor do livre mercado e sempre lutou pelo abolicionismo nos EUA;
  • Bill Gates: criador da Microsoft, é muito lembrado por suas políticas aplicadas e persistência no ramo profissional.

Esses são alguns dos exemplos de lideranças autocráticas ao redor do mundo.

 

Vantagens do estilo de liderança autocrático

Engana-se quem pensa que a liderança autocrática é feita somente de desvantagens. Pelo contrário! Confira abaixo quais são os pontos positivos dessa usabilidade na companhia:

  • Decisões rápidas: por serem tomadas por apenas uma pessoa, todos os processos e ações acontecem de forma mais rápida;
  • Raciocínio pontual: a área de saúde é um bom exemplo da necessidade de mais agilidade, ponderando o que é prioridade e deve ser resolvido com habilidade;
  • Alívio em situações de pressão: situações em que existem altos índices de estresse precisam de mais racionalidade e não emoção, assim, deve ser aplicado o bom senso e autoridade corretamente;
  • Mais qualificação: com uma maior uniformidade de tarefas, têm-se mais especificidade e qualidade em cada colaborador, o que reduz custos com treinamentos;
  • Performance única: com esse direcionamento e cuidado mais aplicado, têm-se resultados singulares e de destaque.

Quais as desvantagens da liderança autocrática?

Existem algumas desvantagens que devem ser levadas em consideração ao aplicar a liderança autocrática, que são:

  • Maior quantidade de conflitos: esse comandante pode ser chamado também de ditador, onde os colaboradores podem se sentir desvalorizados com suas opiniões refutadas, reduzindo a produtividade e engajamento com a equipe;
  • Dependência do líder: quando o responsável não está presente, a produção pode ter problemas, principalmente pela falta de proatividade;
  • Redução de criatividade: com apenas uma pessoa responsável pelas ações e decisões, o padrão costuma ser o mesmo, sem inovação e muito menos criatividade;
  • Redução de produtividade: com a centralização das ações com apenas uma pessoa, há a redução de produtividade de todos os envolvidos, principalmente quando há a dependência para ação dos próximos passos.

Um estudo recém realizado pela Universidade de Harvard mostra que não é somente o indivíduo que foi prejudicado, neste caso, o trabalhador, mas sim, o líder também.

 

Por isso, vale a pena avaliar todos os pontos apresentados e assim, encontrar qual deles é o melhor ou mais relevante para sua organização.

 

Quais os tipos de liderança?

Ficou curioso para saber quais são os outros tipos de liderança? Confira mais abaixo!

 

Líder democrático

Esse tipo de líder incentiva a participação de todas as pessoas da equipe para a melhoria da empresa no geral, assim, está sempre aberto a sugestões, dicas e reclamações.

 

Além disso, tem preocupação no bem estar dos colaboradores, aumentando a interação, engajamento de equipe e crescimento da organização.

 

Mas, nesse caso, as decisões costumam ser mais lentas, sendo preciso um alto índice de maturidade para que não aconteça a perda de controle das tarefas distribuídas.

 

Líder liberal

Nesse caso, acontece com mais frequência a delegação de tarefas, mas, é preciso uma equipe autogerenciável e que saiba assumir responsabilidades.

 

Ao ter um time com todas essas características, têm-se maior participação nas tomadas de decisões, mais motivação dos colaboradores e redução da parte burocrática para aderir a novas ideias.

 

Mas, se os envolvidos não estiverem dispostos a colaborar, pode gerar problemas como redução de produtividade e falta de respeito pela empresa.

 

Líder situacional

Mais indicado para empresas que possuem várias equipes dinâmicas, das quais mudam constantemente, como por exemplo, escritórios de investimentos.

 

Essa liderança é indicada por ser facilmente adaptável conforme as demandas que forem aparecendo, gerando um comportamento mais flexível e com mais autoridade de acordo com a situação.

 

Líder coach

Nesse caso, o desenvolvimento do potencial acontece de acordo com cada membro da equipe, onde a atribuição é focado nas competências e habilidades de cada um.

 

Esse formato dá muito mais liberdade, o que pode ser uma via de dois gumes: pessoas podem se destacar pelo seu ótimo trabalho ou o contrário.

 

Nesse caso, é indicado que seja aplicada em momentos específicos para cada empresa.

 

Como saber qual tipo de líder eu sou?

Se você quer saber qual o seu tipo de liderança, é possível realizar essa ação por meio de vários testes disponíveis online.

 

Basta procurar aquele que você mais gosta e assim, executá-lo.

 

Assim, você pode verificar se esse é o modelo que deseja aplicar dentro de sua companhia, quais são os pontos que merecem cuidados e até mesmo no que melhorar.

 

Lembre-se que autoconhecimento é a primeira ação para pessoas que querem se tornar grandes líderes e assim, gerir uma equipe com sucesso e produtividade.

 

 

Como o estilo de liderança afeta o clima organizacional?

A presença de felicidade no trabalho é um dos principais fatores que aumentam os índices de engajamento dentro do espaço corporativo.

 

Assim, pessoas felizes tem mais vontade e são proativas, enquanto que indivíduos infelizes, fazem somente a sua “obrigação”, segundo o livro Felicidade Autêntica, de Martin Seligman.

 

Antigamente, as empresas eram vistas apenas como uma parte da vida das pessoas, onde se exercia o trabalho sem um envolvimento emocional.

 

Porém, com o passar dos anos, foi compreendido que é preciso monitorar tanto o ambiente externo quanto externo, criando uma cultura organizacional forte e bem estruturada.

 

Os componentes presentes nesse código são o que irá determinar o comportamento dos colaboradores dentro da organização, por isso, é preciso tanta atenção e cuidado!

 

Dessa forma, a maneira como o líder expõe e vive essa cultura é essencial para que reflita nas ações e nos resultados das pessoas de sua equipe.

 

Gostou desse conteúdo? Não deixe de continuar acompanhando mais informações aqui no blog da Empresa Autogerenciável e em nossas redes sociais!