Planejamento estratégico: o que é? Como fazer em 3 etapas

Planejamento estratégico

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 12 minutos

Uma empresa deve ter um planejamento estratégico bem definido para que obtenha sucesso nos próximos passos e ações que serão tomadas. Mas, nem sempre essa é uma atividade simples, principalmente para quem ainda está se estruturando e verificando os próximos passos para ter uma empresa autogerenciável.

 

Mesmo que você já tenha feito um planejamento estratégico, será que ele está conduzindo sua empresa para o seu verdadeiro objetivo? Saiba neste conteúdo como usar esta ferramenta do jeito certo!

O que é planejamento estratégico?  

O planejamento estratégico é considerado como o ponto de partida para as etapas futuras de uma empresa que quer chegar aos objetivos com sucesso. Por meio dele, se faz a administração de tempo, de energia aplicada e recursos para a execução da estratégia. Ele permite visualizar quais as tarefas necessárias para um resultado.

 

Por meio dessas ações estipuladas, se tem maior noção dos problemas, capacidade de identificar as melhorias do negócio e potenciais transformações.

 

É como se fosse um plano de bordo ou o roteiro de uma viagem.Por meio dele, sabe-se o que irá fazer. Não significa que tudo acontecerá conforme o plano. Mas, caso algo saia do que foi previsto, conseguirá tomar uma decisão mais rápida e assertiva.

 

Apesar da importância de planejar o crescimento de uma empresa, essa não é a realidade da maioria dos empresários. Segundo uma pesquisa realizada pelo grupo Falconi no ano de 2020, cerca de 76% das médias empresas não possuem objetivos traçados.

 

Além disso,conforme outra pesquisa realizada pelo mesmo grupo, dentre um número de 100 empresas entrevistadas, apenas 10% delas possuem planejamento estratégico para os próximos três a cinco anos.

 

Mas, porque ele é tão importante? Entenda melhor no artigo abaixo.

Importância do planejamento estratégico  

Importância do planejamento estratégico

O planejamento estratégico pode ser criado para ter foco em apenas uma área do seu negócio ou de forma completa.

 

É ele quem vai ditar quais são as melhores ações que a organização deve tomar, qual será o seu diferencial e como ganhar competitividade em relação aos concorrentes.

 

De uma forma resumida, ele atua como um guia para que sua empresa possa atingir os objetivos e assim, caminhar para o sucesso.

 

Mas, é importante lembrar que seus resultados costumam acontecer entre médio e longo prazo, portanto, paciência e constância são primordiais.

 

É com o planejamento estratégico que as próximas ações serão adotadas, direcionando os esforços para atingir a meta traçada.

 

O bom planejamento leva a empresa a estar cada vez mais perto de seus objetivos, de forma mais real e palpável.

 

Ademais, é um dos causadores diretos para gerar um ambiente integrado e alinhado, aproximando todos os colaboradores e as ações tomadas.

 

Mas, como realizar um planejamento empresarial correto?

Como fazer um planejamento estratégico empresarial   

Agora que você entendeu qual a importância de um ótimo planejamento empresarial, confira abaixo o passo a passo para inseri-lo na rotina de sua empresa. Confira mais no podcast do EAG abaixo e comece a implementação o quanto antes em sua corporação!

 

Criar uma cultura organizacional forte  

Primeiramente, a empresa deve ter uma cultura organizacional forte e bem estruturada.

 

É preciso captar profissionais e talentos que estejam de acordo com aquilo que é ministrado diariamente, batalhando pelo crescimento individual e da empresa.

 

Assim, é possível identificar as melhores maneiras de conseguir traçar objetivos e metas para que seja executado.

Analisar o ambiente externo  

A análise do ambiente externo é um dos pontos que devem ser adotados por parte de quem está querendo instalar um planejamento estratégico em sua empresa.

Assim, quanto mais competitivo, sem estabilidade e difícil ele for, maior será a necessidade de entendê-lo.

 

É preciso compreender que essa análise externa interfere diretamente no desempenho da companhia, seja de forma negativa ou positiva.

Desenvolver competências na equipe  

Não basta apenas ter uma equipe bem formada, é preciso que o desenvolvimento de habilidades e novas aptidões seja contínuo.

 

Assim como o mundo muda, os clientes esperam por novidades, sendo mais do que necessário que a equipe também esteja em constante expansão. Por isso, é preciso desenvolver as competências da equipe.

Criar uma estratégia de concorrência  

Após analisar a concorrência, você deve criar uma estratégia para ganhar mais vantagem ou chamar mais atenção.

 

É primordial saber conquistar uma parcela de consumidores. Seja por meio de uma precificação diferenciada, uma promoção única ou vantagens exclusivas

Seu público alvo deve considerar a compra do seu serviço superior a dos demais, assim, analise os pontos fracos e saiba o seu diferencial.

Criar uma estratégia de inovação  

 

Ao desenvolver uma estratégia, a inovação deve estar de mão dada com todos os próximos planos e ações.

 

Somente assim é possível dar continuidade a todos os passos citados anteriormente, afinal, é preciso ser diferente e único em relação aos seus concorrentes.

 

Etapas do planejamento estratégico

O planejamento estratégico possui várias etapas que devem ser seguidas para que aconteça de maneira positiva.

Etapas do planejamento estratégico

Etapa 1: Preparação dos líderes 

O planejamento estratégico deve ser realizado no final do ano, de modo a planejar o próximo período que virá.

 

Assim, deve-se definir qual será a quantia do faturamento desejado e quais as tarefas necessárias para conquistar essa meta.

 

O empresário deve solicitar aos seus líderes que entrem em contato com seus subordinados, gerenciando assim as próximas ações e tarefas.

 

Além disso, é preciso que o líder também prepare esses colaboradores para que tenham as habilidades precisas para colaborarem com o resultado desejado.


Etapa 2: criando o planejamento estratégico 

O líder de cada área deve demonstrar as necessidades e metas correspondentes do seu setor.

 

Depois disso, uma segunda reunião deve ser criada para debater quais delas serão aplicadas efetivamente em prol da empresa como um todo.


Etapa 3: comunicando o planejamento estratégico 

Depois que todo esse plano de ação é definido, outra reunião deve ser alinhada para cada setor de modo a informar quais são as ações e planos estabelecidos.

 

Dessa forma, todos podem trabalhar com clareza e transparência para que todos os resultados sejam atingidos dentro do período estipulado.

 

Confira no vídeo abaixo a explicação completa para replicar em sua empresa e obter sucesso no alcance dos seus objetivos!

Modelo de planejamento estratégico  

A empresa Magazine Luiza é um ótimo exemplo de como um planejamento estratégico bem executado pode alavancar sua empresa a índices nunca imagináveis.

 

Por meio de uma análise de tendência de como os brasileiros estavam consumindo atualmente, a empresa deu início a vários processos únicos para adentrar no universo digital.

 

A empresa baseou-se em 5 pilares:

  • Inclusão digital: incentivar e ensinar as pessoas a tornarem-se adeptas do universal midiático;
  • Digitalização das lojas físicas: por meio do app Mobile Vendas, Mobile Montar e Mobile Estoquista foi criado um amparo único ao consumidor para todo o processo de compra, de entrega e de montagem de produtos;
  • Multicanalidade: há uma convergência para todos os canais de contato com o cliente, seja dentro do e-commerce, da loja virtual, da loja física ou via app;
  • Site transformado em plataforma digital: é o processo de vender os produtos de outras empresas dentro do canal de marketplace da própria Magazine Luiza;
  • Cultura digital: por meio da cultura da inovação digital, promove-se a instalação e novidades nesse quesito quando comparada aos seus concorrentes.

Com essa criação de planejamento estratégico e aplicação efetiva, os números extraídos dessa pesquisa da Positive Company, comprovam os benefícios.

 

Entre 20 de julho de 2015 até a mesma data de 2020, aconteceu o crescimento de 29,314,28%, passando o valor de investimento de R$0,07 para R$20,52.

 

Ficou intrigado? Veja abaixo quais são as 5 ferramentas mais indicadas para conseguir realizar esse planejamento e mudar o rumo de sua empresa!

5 ferramentas para fazer planejamento estratégico  

A ferramenta é a parte menos importante do planejamento. Ele pode ser desenhado até num pedaço de guardanapo. Entretanto, é claro que usar de algumas ferramentas podem facilitar a visualização do todo, principalmente na hora de mostrar a estratégia à equipe.

 

Confira a seguir algumas dicsa de ferramentas para facilitar a construção do seu planejamento empresarial:

Fluxogramas   

O fluxograma é uma das ferramentas mais utilizadas na parte de montagem de planejamento, principalmente porque as etapas são organizadas em sequências.

 

Elas são divididas entre:

  • Projeto;
  • Processo;
  • Sistema;
  • Fluxo de trabalho ou estudo.

Assim, são mapeados por meio de símbolos e representações de cada atividade que precisa ser executada, suas obrigações e especificidades.

Análise SWOT  

Desenvolvida nos anos 60 na Universidade de Stanford, ela é muito usada no universo corporativo para a formação de estratégias assertivas.

 

Sua sigla significa:

  • Strengths (forças);
  • Weaknesses (fraquezas);
  • Opportunities (oportunidades);
  • Threats (ameaças).

Todas essas questões possuem impacto direto no negócio e ajudam na formação de estratégias que devem ser aplicadas na gestão de uma companhia.

 

Assim, a equipe consegue encontrar qual é a oportunidade e ameaça, seja em relação ao produto ou serviço oferecido, trabalhando para melhorar ou fortalecer a questão.


Metas Smart  

As metas Smart são uma espécie de checklist onde cada meta é analisada e avaliada para verificar se tem os requisitos precisos para atingir os resultados desejados.

Entenda mais sobre o significado de cada ação:

  • S – Specific (Específica): é a representação simples e clara do que a meta deve ser, por exemplo, aumentar as vendas em 80%, vender 1000 produtos em um mês, etc;
  • Measurable (Mensurável): aqui é preciso colocar na meta uma quantia, ou seja, valores definidos, por exemplo, aumentar a venda em 10% em 4 meses;
  • Attainable (Atingível): como complemento aos tópicos anteriores, a meta precisa ser atingível – nem muito fácil e nem impossível – visto que em qualquer uma das situações, pode-se causar uma grande frustração na equipe. Nesse caso, é preciso uma longa análise de dados para compreender o que realmente está dentro do radar ou não;
  • Relevant (Relevant): é preciso que esse objetivo seja relevante para a empresa e os colaboradores, mantendo todos motivados e contentes ao trabalhar para a obtenção dessa meta;
  • Time based (temporal): a meta que foi traçada precisa ter um prazo estabelecido, seja um mês, um ano ou dois anos.

5W2H  

Essa ferramenta também é um checklist que dita as responsabilidades primordiais, como: atividades, prazos e responsabilidades que precisam ser desenvolvidas por todos.

 

A sigla é composta de:

  • What (o que será feito?);
  • Why (por que será feito?);
  • Where (onde será feito?);
  • When (quando será feito?);
  • Who (por quem será feito?);
  • How (como será feito?);
  • How much (quanto vai custar?).

Assim, deve-se preencher todas as respostas para as sete perguntas para criar um planejamento estratégico com mais qualidade e direcionamento.


Canvas  

Por fim, o Canvas é conhecido como uma solução interessante e muito simples para auxiliar o empreendedor a ter mais estratégia para seu negócio.

 

Criado por Alexander Osterwalder, ele possui 9 quadrantes compostos de:

  • Proposta de valor;
  • Segmento de clientes;
  • Os canais;
  • Relacionamento com Clientes;
  • Atividade-chave;
  • Recursos principais;
  • Parcerias principais;
  • Fontes de receita;
  • Estrutura de custos.

Sendo assim, eles devem ser preenchidos com atenção e cuidado para a obtenção de um planejamento estratégico de sucesso.

Tipos de planejamento estratégico  

Você sabia que existem alguns tipos específicos de planejamento estratégico? Confira quais são eles abaixo!


Tático  

O tático é aquele composto por planos de médio prazo, onde utiliza-se muito mais detalhes para que os objetivos e metas de uma empresa sejam atingidos.

 

Ele usa como base os Objetivos Táticos para cada área da organização, assim, devem ser criados para atender cada setor com cuidado.

 

Alguns dos exemplos mais vistos nesse caso, são:

  • Limite de dia para o envio de pedidos;
  • Não permitir que nenhum produto com defeito seja comercializado;
  • Ter funcionários qualificados na área específica.

Operacional  

Enquanto isso, o operacional possui planos para períodos mais curtos por meio da definição do método, processo e sistema que será usado para a obtenção das metas estabelecidas.

 

Ele costuma ser bem mais detalhado que os anteriores, demonstrando qual será a atuação e responsabilidade de cada envolvido para iniciar todas as ações.

 

Geralmente ele é composto de planos de ações e cronogramas de cada área, onde é estimado um tempo limite para a execução dos mesmos.

 

A ferramenta mais utilizada é a 5W2H para que nenhum detalhe seja deixado de lado.

 

Alguns dos exemplos mais comuns de aplicação dele, são:

  • Implantação de um sistema de rastreamento de pedidos;
  • Firmar uma parceria com certa instituição para capacitar os colaboradores.

Vendas  

O planejamento estratégico de vendas possui várias ações que devem ser adotadas para o processo de comercialização de uma companhia.

Ele é como um “norte” composto de diretrizes para que o time de vendas consiga:

  • Gerar mais leads;
  • Ganhar mais conversões;
  • Aumentar a fidelização.

Por meio dele é possível traçar novas metas, fazer uma análise completa da equipe e entender melhor o posicionamento da empresa no pós-venda.


Marketing  

Nesse caso, o planejamento estratégico de marketing é desenvolvido para dar maior visibilidade para a marca, gerar mais vantagem competitiva e ter melhores resultados na área.

 

Ele é composto por 6 passos cruciais:

  1. Análise de mercado: é preciso conhecer seus concorrentes e o que é oferecido ao consumidor, assim, pode-se comparar com mais precisão seu serviço e produto, além de outras influências como economia, política, demografia e até mesmo cultura do público alvo;
  2. Posicionamento: agora é o momento de entender qual é o objetivo e posicionamento da sua companhia em relação ao mercado – O que você oferece? Qual é o seu diferencial?
  3. Público-alvo: é preciso compreender todos os detalhes da pessoa que você deseja que adquira o seu produto, assim, você pode traçar melhor as necessidades e gerar estratégias cada vez mais certeiras. Clique aqui e saiba mais sobre como definir o público alvo da empresa. 
  4. Personas: diferente do tópico anterior, personas mostram o consumidor ideal da sua empresa, ou seja, é uma visão mais aprofundada no individual do que o coletivo, afunilando cada vez mais as ações adotadas pela companhia.
  5. Melhores canais: escolha quais são os melhores canais para atingir seu público alvo – loja virtual, loja física, ecommerce, e-mail marketing, sites, mídia paga… as opções são muitas, por isso é importante selecionar as mais assertivas!
  6. Metas e objetivos: por fim, é preciso que metas específicas e claras sejam desenvolvidas para que você atinja um objetivo com sucesso, portanto, trabalhe nelas!

Pessoal  

O Planejamento Estratégico Pessoal, ou PEP, como é comumente chamado, nada mais é do que um plano de vida, onde é preciso que uma auto-análise seja criada.

 

Assim, é possível para o indivíduo traçar ações que vão liderá-lo até o seu sonho pessoal.

 

Para isso, você deve colocar no papel quais são seus objetivos e desejos para sua vida.

 

Depois, estabeleça um passo a passo plausível, com datas e pequenas metas que devem ser alcançadas no tempo estipulado.

 

Lembre-se de começar devagar e nunca parar, assim, conforme o passar do tempo e continuidade, chegará onde tanto deseja!

 

Uma pessoa realizada é um funcionário feliz!

Como analisar indicadores do planejamento estratégico

 

Veja aqui como você deve analisar os indicadores de planejamento estratégico de acordo com cada um deles.

 

Assim, você conseguirá analisar com muito mais atenção o momento atual de sua empresa e ver com mais clareza onde quer chegar. Confira:

Percentual de lucratividade do negócio 

 

Esse dado é composto da combinação do lucro obtido e as receitas dentro de certo período. A fórmula utilizada para obter essa quantidade é:

 

Lucratividade (em %) = lucro líquido / receita total x 100. 

Esse índice de lucratividade ideal costuma ter variação conforme cada empresa.

Nível de crescimento mês a mês 

 

Um dos indicadores mais utilizados em startups, o nível de crescimento relaciona a receita entre diferentes períodos para assim, identificar com mais clareza o percentual correspondente.

 

Geralmente ele é usado em períodos curtos, sendo assim, a fórmula aplicada é:

 

Crescimento (em %) = (receita do mês atual – receita do mês anterior) / receita do mês anterior x 100. 

 

Nesse caso, é interessante analisar o índice dos concorrentes e o macroambiente correspondente de forma a verificar qual é a média padrão.

Tíquete médio de venda, cliente ou vendedor 

É importante conhecer os valores padrões das operações de venda para ter vantagem na estratégia da empresa.

 

Assim, pode-se saber onde é mais interessante investir, quais vendas devem ser aplicadas, além do incentivo a equipe ou colaboradores específicos.

 

Essas variações podem ser calculadas com as seguintes fórmulas:

  • Tíquete por cliente (R$) = valor total das vendas / número de clientes
  • Tíquete por vendedor = valor total das vendas / número de vendedores
  • Tíquete por produto = valor total das vendas / número de itens vendidos

O tíquete médio deve ser correspondente a estratégia que foi definida pela empresa.

Taxa de conversão de vendas 

Aqui, é primordial entender qual é a efetividade das vendas para verificar se a proposta recebida pelos clientes transforma isso em compra.

 

Assim, a fórmula utilizada nesse caso, é:

Taxa de conversão (calculada em %) = vendas ou contratos fechados / total de clientes atendidos no mesmo período x 100. 

 

Se a conversão estiver abaixo da quantia esperada, é preciso compreender qual é o problema originário.

Nível de participação do mercado (Market Share) 

 

Com o Market Share é possível avaliar qual é a parcela de participação da empresa dentro do mercado.

 

Assim, compreende-se se a estratégia aplicada tem sido interessante no quesito de crescimento.

 

Esse nível pode ser calculado com diferentes bases: volume de vendas, faturamento ou total de clientes. A fórmula usada é:

 

Market Share (em %) = faturamento da empresa (base variável) / faturamento total do segmento (a nível municipal, estadual ou nacional) x 100 

Geralmente o faturamento total pode ser extraído de relatórios públicos como do SEBRAE, IBGE ou outras instituições específicas.

Nível de produtividade 

Um dos indicadores mais complicados de calcular, o nível de produtividade é variável, porém, fundamental. Mas, como executá-lo?

 

Confira a fórmula abaixo:

Produtividade = produtos ou serviços gerados / recursos utilizados. 

 

Por exemplo: se uma fábrica de bolos produz 1 mil bolos durante 8 horas, a produtividade média é de 125 bolos para cada hora de trabalho.

Turnover dos funcionários 

 

O turnover é referente ao percentual de funcionários que não fazem mais parte do quadro da equipe durante determinado período de tempo.

Assim, a fórmula utilizada é:

Turnover (em %) = funcionários que saíram da empresa / total de funcionários no mesmo período x 100. 

 

Essa quantia pode variar conforme a política de cada empresa e processos para retenção de talentos, mas, geralmente é indicado que fique abaixo de 5%.

 

Do contrário, atesta-se grande perda de capital humano, de dinheiro e também de capacidade intelectual.

 

Conclusão 

O planejamento estratégico empresarial é fundamental para direcionar a empresa. É com esta ferramenta que o líder define a meta anual, além de ter previsibilidade sobre certas situações. Por exemplo, saber quando precisará contratar uma nova pessoa, ou para quem delegar cada tarefa na equipe. Sem esse plano de ação, o crescimento empresarial pode ser prejudicado.

 

Agora que você já sabe todo o processo de planejamento estratégico para aplicar na sua empresa, é a hora de colocar a mão na massa e começar a colher os resultados no futuro!

 

Que tal fazer o seu planejamento estratégico acompanhado de um especialista em gestão de negócios? Nas nossas imersões você tem essa oportunidade! Preencha o formulário do Programa EAG e aguarde o contato da nossa equipe😉