A relação entre liderança e Employer Branding

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 4 minutos

O Employer Branding vai muito mais além do que aparenta. Os candidatos querem mais do que apenas fotos retiradas de bancos de imagens posicionadas nas páginas de carreira dos sites das empresas e eles estão muito mais focados no mais importante: a liderança da empresa.
Quando se trata da identidade do Employer Branding, os líderes são fundamentais. Por quê? Eles definem o ritmo e o tom de toda a organização e, muitas vezes, impactam pessoalmente como é realmente trabalhar para a empresa – um tema frequentemente discutido online.
liderança
Empresas com fortes Employer Branding são as que mais investem na construção de fortes líderes. Esses líderes gerenciam estrategicamente a marca de empregador através da prática de uma liderança autêntica.
Durante a pesquisa para o meu próximo livro, “The Magnetic Leader: How Irresistible Leaders Attract Talent, Customers and Profits” (ou, em português, O Líder Magnético: Como Líderes Irresistíveis Atraem Talentos, Clientes e Lucro”), eu entrevistei diversos grandes líderes para obter uma melhor compreensão de como o estilo de liderança pode afetar a capacidade da empresa de atrair e reter talentos. Eu rapidamente percebi um padrão.
Existe uma correlação direta entre líderes “magnéticos” e um Employer Branding vibrante.
É claro que o oposto também é verdadeiro. Líderes desconectados podem danificar de forma significativa a marca de sua empresa e a maioria não tem ideia que está fazendo isso.
Abaixo estão dois líderes que compreendem a poderosa relação entre Employer Branding e liderança.

O Líder é o embaixador da marca

Rob Nixon, fundador e CEO da Panalitix, uma empresa de filiação para contadores com sede em Brisbane na Austrália, compartilhou comigo algo que a maioria dos CEOs nunca admitiria. “Meu pior ano de pessoas foi em 2010. Eu tive 26 pessoas saindo de uma equipe de 16. Isso não é bom!”
Nixon decidiu agir. “Eu sentei e refleti sobre como queria que a minha empresa fosse. Eu escrevi o tipo de cultura que eu queria ter na minha empresa e o jeito que eu queria que as pessoas se sentissem sobre o trabalho que estavam fazendo. Em seguida, eu desenvolvi algo novo”.
Desde então, Nixon teve poucos funcionários de alto desempenho saindo da empresa. Aqueles que saíram disseram coisas muito boas sobre a experiência de trabalhar na Panalitix e vários deles retornaram à empresa posteriormente.
Nixon aprendeu da maneira mais difícil que o seu estilo de liderança estava frequentemente repelindo talentos. Como líder de uma pequena empresa, suas políticas e estilo de gestão estavam afastando as pessoas. Por diversas vezes ele passou boa parte de seus dias recrutando substitutos e treinando novos contratados, o que significava um tempo gasto longe dos outros funcionários.
Atualmente, Nixon passa mais tempo com seus empregados e possibilita mais participação deles. Ele dá o devido crédito aos seus funcionários, muitas vezes apresentando os sucessos de sua equipe no Facebook e Twitter.
Talvez ele não perceba, mas Nixon realmente passou por uma reestruturação do seu Employer Branding.
Seus esforços estão dando resultados. Hoje, a Panalitix é conhecida como o tipo de local de trabalho que os funcionários gostam de ir trabalhar e os clientes gostam de fazer negócios.
liderança

Negócio que reflete valores essenciais

“Eu não sou dono da minha equipe”, diz Rob Castaneda, CEO da ServiceRocket, Inc., uma empresa de software com sede em Palo Alto. Sua atitude como líder é rara, especialmente na indústria de tecnologia, onde os empregadores estão constantemente competindo e tentando “roubar” talentos uns dos outros.
Rob começou seu negócio quando tinha apenas vinte e um anos de idade. Apesar da pouca idade, Castaneda sabia que queria construir o tipo de empresa que ele gostaria de trabalhar. Ainda mais impressionante foi a sua intenção de não apenas ganhar dinheiro. Castaneda queria criar uma empresa pela qual pudesse se orgulhar. Ele sempre se viu como o mordomo de sua equipe e do trabalho que ele está fazendo.
Quinze anos depois, hoje, a ServiceRocket está localizada no coração do Vale do Silício e Castaneda é conhecido como um verdadeiro líder que compartilha sua visão com banqueiros, com a comunidade do Vale do Silício e, mais importante, com seus funcionários.
Castaneda cobra uma conscientização de um equilíbrio de vida pessoal e profissional de seus empregados. “Acredito que as pessoas que estão mais relaxadas fazem um trabalho melhor”. Ele faz questão de ser visto saindo mais cedo do trabalho para treinar a equipe esportiva de um de seus filhos. “Eu não me importo de a equipe me ver saindo do trabalho. Eu os encorajo a fazer o mesmo”.
Suas crenças e traços de liderança estão refletidos no estilo brincalhão de sua empresa que é possível ver na seção de carreiras da ServiceRocket – o mesmo estilo que ele traz para o seu trabalho.
Ao compartilhar seu entusiasmo, a ServiceRocket pode atrair talentos ao redor do mundo. Mas a empresa não acomodada em seus bons resultados. Castaneda e sua equipe estão construindo relações sólidas com universidades e estão participando de feiras de carreira para assegurar que o seu Employer Branding continue relevante e sendo uma referência.
Tanto Castaneda quanto Nixon percebem a poderosa relação entre liderança e reputação do Employer Branding. Eles estão tomando medidas para se certificarem de que as pessoas que possuem a tarefa de gerenciar os funcionários estejam preparadas para isso e alinhadas com sua visão e valores da empresa.
Artigo traduzido: http://hiring.monster.com/hr/hr-best-practices/workforce-management/hr-management-skills/employer-brand-leaders.aspx
Se você quiser saber mais sobre esse assunto, separei alguns materiais para você:

]]>