Vantagem Competitiva: o que é, dicas e exemplos de como criar na empresa

Empreendedores competindo em pista de corrida. O que está mais a frente corta fita vermelha de chegada com os braços abertos em comemoração simulando o que é uma vantagem competitiva numa empresa

Compartilhe esse conteúdo

Tempo de leitura: 9 minutos

A vantagem competitiva é derivada da capacidade de uma empresa de neutralizar ou reduzir o impacto da concorrência diante dos produtos ou serviços oferecidos, tornando-se diferente e singular.

 

Do contrário, a companhia enfrenta maiores interferências tanto externas, quanto internas, lidando com várias consequências e situações complicadas de se reverter.

 

Empresas que possuem essa qualidade tem menos problemas com crises e variações do mercado, por isso, é o momento de você entender como começar esse procedimento dentro de seu negócio e assim, se destacar!

 

Mas, como começar? Confira abaixo informações completas aqui no Blog EAG e aplique todos os ensinamentos o quanto antes em seu negócio!

 

O que é vantagem competitiva?

A vantagem competitiva acontece quando a empresa possui, literalmente, uma vantagem em relação aos seus concorrentes, conseguindo se destacar e obter maior quantidade em vendas.

 

De uma maneira simples, é quando se obtém um diferencial, seja o produto único, atendimento especializado, facilidade em processos… a lista é extensa!

 

Um dos principais objetivos de muitas empresas é a otimização de processos e uma melhor capacidade técnica, gerando assim uma operação eficiente e que supere as expectativas do consumidor.

 

Porém, quando falamos de vantagem competitiva, ela é mais aplicada na criação de valor do cliente, da qual deve ser singular e deve-se dar diretamente na entrega de um produto ou serviço que supere o investimento monetário.

 

Importância da vantagem competitiva

Mas, qual é, na prática, a importância de ter uma vantagem competitiva dentro de sua empresa? Confira abaixo algumas das principais razões!

 

Atrair novos clientes

Quando sua empresa possui um diferencial ou um produto muito especial, por si só será um grande atrativo para novos clientes.

 

Por isso, divulgar seus pontos fortes e deixar claro para potenciais compradores o que de único você está oferecendo é uma das primeiras ações de quem quer uma boa vantagem competitiva dentro do mercado.

 

Fidelização de clientes

Depois que o primeiro contato é realizado, é o momento de começar a “martelar” e comprovar para seu público-alvo o quanto incrível é o item que está sendo oferecido.

 

De qualquer modo, é preciso investir além da qualidade do produto em também no atendimento ao cliente, condições especiais de pagamento e tudo aquilo que torne a compra uma verdadeira experiência.

 

Aumento da presença no mercado

Com essa singularidade no mercado de vendas, é automático que o aumento da presença no mercado seja concretizado.

 

Dessa forma, é preciso que a empresa esteja sempre atenta para lidar com as futuras cópias, com potenciais ameaças e assim, blindar cada vez mais a marca e o produto oferecido.

 

Aumento da retenção de talentos

Quando uma empresa possui resultados, colaboradores e produtos únicos, há uma maior procura por profissionais qualificados para que possam fazer parte dessa equipe.

 

Por isso, é preciso que não somente no que é vendido, mas também na cultura organizacional exista essa singularidade e exclusividade, aumentando a vontade de novas pessoas de fazer parte do time.

 

Ao reter talentos, têm-se uma empresa de maior valor em relação aos demais, além de agregar muito mais qualidade e uniformidade em todos os processos que forem criados.

 

Aumento do faturamento

Quando há uma vantagem competitiva bem estabelecida, é natural o aumento do faturamento de sua empresa, tanto pelo valor agregado em seu produto, quanto pela maior procura do mesmo.

 

Basta imaginar: as pessoas vão desejar comprar o item que está mais famoso, mais procurado e com maiores qualidades no mercado ou o item do concorrente que não possui tanta fama assim?

 

Por isso trabalhar para obter uma vantagem competitiva é essencial para quem deseja ganhar cada vez mais espaço por entre os concorrentes.

 

Crescimento empresarial

Por fim, depois de todos os benefícios e importâncias da aplicação da vantagem competitiva, é comum que o crescimento da empresa aconteça, afinal, é apenas uma consequência.

 

Assim, se você ainda tinha dúvidas, com certeza já foram sanados até aqui, não é mesmo?

 

Exemplos de vantagem competitiva

Confira abaixo alguns exemplos de empresas que possuem vantagem competitiva e compreenda melhor sobre a importância dessa aplicação na sua companhia!

 

Nubank

Uma das empresas de maior destaque, a Nubank ganhou fama e muitos clientes por ser um banco do qual possui a ausência de várias taxas – algo comum em seus concorrentes.

 

Mas, um dos seus maiores fatores para conquistar clientes é a redução de burocracia, onde bastam alguns cliques para realizar ações necessárias no dia a dia.

 

A empresa observou a jornada dos brasileiros que precisavam se direcionar até os bancos para conseguirem resolver assuntos, onde os processos costumam ser demorados e cheios de trâmites.

 

Assim, foi desenvolvido o app muito simples e extremamente intuitivo para priorizar a experiência do usuário.

 

Netflix

Uma das plataformas de streaming de maior sucesso ao redor do mundo, a Netflix é lembrada por ser uma das pioneiras de seu ramo.

 

Isso aconteceu primeiramente por ter priorizado a experiência dos consumidores, usando a tecnologia ao seu favor, tudo isso sem que os usuários tivessem que sair de casa.

 

Kodak

Nos anos 90, a Kodak dominava o mercado com cerca de 90% das vendas de filmes fotográficos, assim como o percentual de vendas de câmeras.

 

Porém, devido a falta de inovação e por ter “parado no tempo”, a empresa declarou sua falência em 2012, devido tanto a novos modelos de câmeras digitais e smartphones, comprovando mais uma vez a necessidade das empresas de sempre se reinventarem.

 

Quer saber mais sobre como funciona a vantagem competitiva? Confira mais no vídeo abaixo de Marcelo Germano!

Como ter vantagem competitiva na empresa em 5 passos

Um dos estudos comumente realizados para que se saiba mais sobre a vantagem competitiva das empresas é baseado no modelo de análise de Michael Porter.

 

Criado nos anos 70, ele ainda hoje é muito estudado nas aulas de marketing e administração, além de ser amplamente utilizado no planejamento de estratégias.

 

Por meio dele, é feita uma análise setorial dos principais concorrentes, das forças e fraquezas que existem dentro de um ramo ou mercado.

 

Confira abaixo quais são eles:

Níveis de vantagem competitiva

 

1. Concorrência e rivalidade entre concorrentes

Um dos primeiros pontos abordados é sobre a rivalidade entre os concorrentes, dos quais geralmente estão no olho das empresas, influenciando sua capacidade de atrair novos clientes e de ganhar mais espaço no ramo condizente.

 

Assim, com várias opções disponíveis, o consumidor possui um grande poder de compra, levando em consideração tanto o valor, a qualidade ou singularidade do item que pode ser adquirido.

 

Dessa forma, acontece uma disputa pelo valor ou maior benefício entre todos os vendedores, onde o nível da concorrência também é influenciado por tantos outros fatores, como:

  • Concorrentes similares;
  • Crescimento exponencial ou lento da empresa;
  • Produtos parecidos;
  • Custos fixos ou muito altos.

Sendo assim, é comum que muitas empresas baixem os valores para aumentar sua competitividade, porém, é preciso investir no diferenciar para que assim, o consumidor reconheça aquele que é de maior interesse.

 

Porém, em casos em que há menos concorrentes, fica mais fácil de obter lucro, seja praticando valores mais altos pela menor quantidade de escolha e barganha.

 

2. Poder de negociação e barganha com fornecedores

O poder de negociar também é determinante para que a empresa saiba impor sua posição dentro do mercado, principalmente no quesito dos fornecedores.

 

Assim, há a possibilidade de aumentar os valores ou reduzir a quantia disponível, pressionando ou aumentando o poder de consumo das empresas.

 

Essa ação depende de muitas questões, que são:

  • Poucos fornecedores e muitos compradores;
  • Não possuem concorrentes ou itens substitutos;
  • O setor não é classificado como essencial para os fornecedores;
  • A mercadoria é importante para o comprador;
  • O produto é único.

3. Poder de negociação e barganha com compradores

O poder de compra dos compradores e dos clientes é outro fator potente que tem atuação direta no setor, determinando diretamente o nível de competitividade.

 

Quanto maior o poder de barganha dos clientes, mais é possível pressionar os vendedores para que baixem os valores, ou, que aumentem a qualidade do produto oferecida.

 

Os clientes sempre vão tentar pagar o menor preço pelo produto de maior qualidade, potencializando assim a concorrência e disputa pela maior fatia do mercado.

 

Nesse caso, é comum que os indivíduos tentem reduzir o valor ao máximo ou procurem por concorrentes mais baratos.

 

É importante destacar que o poder de barganha também muda de acordo com o perfil do comprador, onde tem relação direta com a sua renda, exigência de qualidade e nível de conhecimento de compra.

 

4. Ameaça de novos entrantes

Novos concorrentes tem relação direta a como o mercado convencional se comporta (ou não) sobre esse fato.

 

É comum que venham com ideias inovadores, novidades imbatíveis, novos investimentos e desejo de ter uma maior participação no mercado.

 

Porém, lembre-se que para que o concorrente ganhe uma parcela de reconhecimento, alguém terá que perder no final das contas…

 

Assim, é primordial que ações sejam tomadas para que esse percentual seja reduzido.

 

É comum que o preço das empresas já consolidadas seja reduzindo, reduzindo assim a abrangência dos concorrentes

 

As principais barreiras de entrada que são comumente citadas por Porter, são:

  • Economia de escala: onde força-se a entrada em larga escala ou acata a desvantagem de valor;
  • Diferenciação do produto: reforça-se o investimento para ganhar a fidelização do cliente;
  • Necessidade de capital: é preciso fazer grandes investimentos em pesquisa e mais desenvolvimento;
  • Desvantagem de custo independente da escala: aqui alguns exemplos são a curva de aprendizagem, tecnologia proprietária e acesso para mais fontes de matéria prima;
  • Acesso a canais de distribuição: aqui, há a redução de distribuição de novos produtos, forçando com que sejam adotados novos canais de venda;
  • Política governamental: é preciso regulamentar a entrada em nichos únicos.

Basta você imaginar a dificuldade de entrar em mercados consolidados, como por exemplo, de grandes tecnologias como a Samsung e Apple.

 

É preciso ter um grande poder de investimento para que se atinja esse nível, além da confiança dos novos compradores. Assim, muitas companhias podem surgir, porém, poucas vão obter sucesso.

5. Ameaça de produtos ou serviços substitutos

É preciso pensar que até mesmo a competitividade de sua marca possui influencia de ramos que não tem nada a ver com o mesmo!

 

Ficar de olho nas empresas que podem vender produtos similares ou serviços substitutos é uma realidade, o que tem impacto direto em seu negócio.

 

Esses itens podem pressionar a rentabilidade da indústria, até mesmo forçando com que aconteça a adaptação das estratégias.

 

Um exemplo simples disso são as carnes veganas, muito usadas para substituir a tradicional. Não possuem a mesma expansão de consumo, porém, são uma alternativa existente.

 

Confira no vídeo abaixo mais sobre como funciona a vantagem competitiva por Marcelo Germano!

Dicas para criar vantagem competitiva na empresa

Ficou interessado e quer saber o que fazer para criar uma vantagem competitiva dentro de sua empresa? Confira abaixo algumas dicas do que deve ser feito e como aplicar em sua companhia!

  • Conheça seu público-alvo: entender o que o seu potencial comprador está buscando e qual é a linguagem para ser utilizada é essencial para ganhar mais destaque por entre seus concorrentes. Nesse caso, é preciso fazer uma vasta pesquisa de mercado, entender mais sobre a busca do indivíduo e assim, voltar a sua venda para que atenda a esses desejos específicos;
  • Aumente a produtividade da equipe: potencializar a entrega de sua equipe é essencial – sem sobrecarregar ninguém -, para que bons resultados sejam atingidos. Assim, têm-se uma maior chance de atingir novas metas e objetivos, além da aplicação de estratégias e ações específicas para potencializar a venda de sua companhia;
  • Tenha um diferencial: qual é a questão que torna sua empresa única e marcante em relação aos concorrentes? Ao compreender isso com densidade e começar a usar ao seu favor, você terá resultados únicos e nunca vistos antes;
  • Fique de olho na concorrência: é preciso estar sempre atento a quais são os próximos passos de sua concorrência, afinal, pode ser que algumas ações estejam passando despercebidas e que tenham impacto direto em sua empresa. Ademais, pode servir para inovação interna e encontrar novos parâmetros de seu negócio;
  • Invista em promoções: nada melhor do que valores promocionais, brindes e descontos para que seu comprador filie-se ainda mais em sua negócio, portanto, não deixe de pensar em campanhas específicas para tornar-se um diferencial dentro do nicho de atuação;
  • Tenha foco no relacionamento com o cliente: pense em estratégias a longo prazo que engajem ainda mais o indivíduo com sua marca, que proporcionem um fácil atendimento e retorno, seja sobre questões de problemas, sugestões e até mesmo o pós venda.

Todas essas ações são super indicadas para que você tenha ainda mais vantagem competitiva e torne-se cada vez mais singular dentro do mercado de atuação.

Vários bonecos em branco e um boneco amarelo a frente, comemorando com os braços abertos demonstrando a importância da vantagem competitiva

 

Aqui é o momento de você, comandante, parar e realizar uma análise completa sobre seu negócio.

 

Encontre aquilo que torna sua empresa única e a diferencia dos demais concorrentes, aí, você terá a sua vantagem competitiva.

 

Além disso, pode ser que essa questão seja muito mais do que uma: são várias as possibilidades dentro de uma companhia.

 

Por isso, o estudo e o conhecimento aplicado é essencial para que saiba explorar com mais facilidade e assim, criar campanhas específicas e direcionadas para disseminar mais ainda essa questão.

 

Gostou desse conteúdo? Não deixe de acompanhar demais dicas para que você tenha uma empresa autogerenciável e com muito sucesso! Acompanhe o blog EAG e nossas redes sociais!